Residência Artística Seia 2023 | Inérzio Macome + Luís Salgueiro



Residência Artística em Seia

A diáspora | Inérzio Macome + Luís Salgueiro

07 a 11 de Agosto de 2023

Apresentação final: 11 de Agosto de 2023, 18h30 | Casa Municipal da Cultura de Seia


O violoncelista Inérzio Macome e o compositor Luís Salgueiro estarão em residência artística na Casa Municipal da Cultura de Seia, entre os dias 7 e 11 de Agosto de 2023. Esta residência assentará sobre a temática “Diáspora”, a partir das notas de programa de uma das peças que integrará o concerto final da residência, “Refúgio”, de Rodolfo Valente:

“O nome refúgio não se refere a algum retiro idílico, mas, assim como meu quarteto diáspora, escrito no mesmo ano, faz alusão à situação dos refugiados dos conflitos no Oriente Médio. Pensei na sensação de quem chega em uma terra desconhecida, vendo-se diante de uma situação completamente nova e possivelmente estranha. Talvez uma alusão também à vivência metafórica dos estudantes que por esta peça talvez tenham uma das suas primeiras experiências com a música contemporânea, especialmente a música com electrónica, tendo de se situar neste novo contexto. Há aqui também um certo estranhamento entre as partes electrónica e instrumental, que interagem e convivem sem nunca provocarem a ilusão de se fundirem completamente.”


A apresentação final realizar-se-á na Casa Municipal da Cultura de Seia, no dia 11 de Agosto, pelas 18h30. A entrada é gratuita.


Programa:

Rodolfo Valente: Refúgio
para violoncelo e electrónica

J. S. Bach: Suite nº1 (Sarabanda)
para violoncelo solo

Paul Hindemith: Sonata Op.25 No.3 (1º andamento)
para violoncelo solo

João Pedro Oliveira: Singularity
para violoncelo e electrónica

Luís Salgueiro: nova obra*



*estreia absoluta, encomenda Projecto DME


Biografias:

Inérzio José Macome, nascido em Maputo aos 02 de Junho de 2001. Iniciou seus estudos musicais  em 2016 no projecto Xiquitsi na classe de violoncelo sob orientação de Juan Rivas, Kristiine Hirvonen,  Maicol Chacon,  Maria Quevedo, Peter Martens  e Tiago Mendes.

Enquanto integrante do projecto Xiquitsi, participou em 2018 no festival de Música de Primavera de Viseu – Portugal  e do festival de música de câmara, SICMF (Stellenbosch International Chamber Music Festival) Cape Town. Com instrução dos músicos: Boris Brovtzyn, David Cohen, Gareth Lubbe, Nicolas Dautricourt e Peter Martens. No mesmo ano começou a lecionar como Monitor e obteve menção honrosa como 2º melhor aluno no projecto Xiquitsi.

Em 2019 foi convocado como solista nas obras Primavera e Verão das Quatro Estações (António Vivaldi) no âmbito da 1ª Série dos Concertos da Temporada  de Música Clássica em Maputo. Participou também da 2ª Série dos concertos da Temporada de Música de Clássica em Maputo-Xiquitsi, onde interpretou o quarteto de Mozart para oboé e cordas com as solistas Kika Materula e Maya Egashira. No mesmo ano, conquistou  o 1º lugar do prêmio melhor aluno do ano no projecto Xiquitsi.

Em 2020, Participou no Festival de Música de Santa Catarina – Brasil. E no mesmo ano venceu o concurso para atribuição de Bolsas de Estudo no âmbito do projecto PROCULTURA financiado pela União Europeia, Co-financiado  pela Fundação Calouste Gulbenkian e ainda co-financiado e gerido pelo Instituto Camões.

No corrente ano, participou do festival do Festival de cordas na Escola Superior de Lisboa; participou na primeira edição do festival de violoncelo no Porto (Portugal ) e tocou na Orquestra Municipal de Sintra.

Inérzio, frequenta actualmente o 2º ano de Licenciatura em Música na Escola Superior de Lisboa na classe do Professor Levon Mouradian.



Luís Salgueiro é compositor de música instrumental, eletrónica e mista, cuja atenção ao timbre e à produção material do som é informada por conceitos do campo da piscologia e da ciência cognitiva. Entre colaborações recentes e futuras contam-se peças para a Orquestra Gulbenkian, o quarteto de saxofones Quasar, os pianistas Philippe Marques e Duarte Pereira Martins, o trio recherche, o Ensemble ars ad hoc ou o Sond’Ar-te Electric Ensemble.

A sua música tem sido apresentada na Alemanha, nos Estados Unidos e nas mais importantes salas de concertos de Portugal, incluindo a Fundação Calouste Gulbenkian, a Sala Suggia da Casa da Música, o Salão Nobre do Conservatório Nacional, o Palácio da Ajuda, o Teatro Aveirense ou o Fórum Luísa Todi. Participou na Rede Europeia de Academias de Ópera, desenvolvendo trabalhos com a Fundação Gulbenkian, bem como com a Theatreakademie August Everding, em cooperação com o JOiN, na Staatsoper Stuttgart.

É mestre em Composição pela Hochschule für Musik, Theatre und Medien Hannover, onde estudou com Ming Tsao, Gordon Williamson e Joachim Heintz, onde foi bolseiro DAAD. Após a conclusão desse grau, foi-lhe atribuída a Stipendium für innovative Musikkompositionen do estado federal da Baixa Saxónia. Licenciou-se na Escola Superior de Música de Lisboa, sob a orientação de António Pinho Vargas, Carlos Marecos e Luís Tinoco. Coordena, desde 2014, as atividades editoriais do MPMP, Património Musical Vivo, uma rede internacional de músicos dedicada à difusão e estudo da herança portuguesa na tradição clássica ocidental, com quem partilha também a direcção artística desde 2022. Para além do seu trabalho criativo, tem desenvolvido um trabalho relevante nas áreas da musicografia e edição musical, com particular ênfase na música contemporânea, tendo contribuído para históricas editoras europeias como a Peters, a Casa Ricordi, ou as do grupo Durand – Salabert – Eschig.





Fotografias de Hugo Alves




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festival Imersivo 2024

International Masterclass for Composers 2024

Corpos Sonoros