Corpos Sonoros


O projeto “Corpos Sonoros” é um projeto pedagógico e de criação comunitário.

Trata-se de um projeto que procura realizar um trabalho que fomente a participação cívica e artística, bem como a consciencialização ambiental. Conta com a participação de jovens moradores do Bairro do Rego (onde fica situado o Lisboa Incomum), mediados pela Associação Passa Sabi, uma associação de moradores deste bairro em Lisboa que trabalha em prol da comunidade, e com alunos do Instituto Gregoriano de Lisboa. 

Numa primeira fase do projeto, os participantes irão construir instrumentos musicais, com orientação do artista Bitocas Fernandes, a partir de materiais recolhidos que visam ser reutilizados.
Estes instrumentos serão concretizados segundo os princípios de criação de material sonoro de Pierre Schaeffer, relacionados com o seu conceito de “corpo sonoro”. Este processo pressupõe ainda o contacto com o equipamento especializado de captação e difusão de som do Lisboa Incomum, abordando pedagogicamente questões complementares ao desenvolvimento do projeto, como princípios de microfonação, introdução ao áudio digital, montagem e música electroacústica. Os participantes irão explorar as possibilidades sonoras destes instrumentos através da sua performance e será, então, constituída uma base de dados com gravações dos instrumentos.

Estarão envolvidos, nesta fase do projeto, a Associação Passa Sabi, uma associação de moradores do bairro do Rego em Lisboa que trabalha em prol da comunidade, que irá operar como mediadora entre população e as instituições, pelas ligações já estabelecidas com a mesma; o CRIA-Iscte - Centro em Rede de Investigação em Antropologia e o INET-md - Instituto de Etnomusicologia (FCSH/UNL), que irão acompanhar, analisar e implementar melhorias no processo, nomeadamente, facultando propostas de abordagens comparativas e complementares. Nomeadamente, sobre este último ponto, o seu papel principal será dar a conhecer outras tipologias de práticas de criação de instrumentos, sons e comunicação, adoptando uma perspectiva cross-cultural que pretende complementar as ideias de Schaeffer, evitando uma imposição cultural europeia num contexto que será francamente multicultural.

Numa segunda fase do projeto, o repositório criado servirá de matéria prima e inspiração para a criação de quatro peças acusmáticas pelos compositores Jaime Reis, Mariana Vieira, a partir do conjunto de artefactos sonoros fabricados no âmbito do "Corpos Sonoros".

O projecto resultará na criação de uma performance-instalação, liderada pelo músico Filipe Sousa, pianista formado trabalho colaborativo e participativo com artistas e comunidades. 

A apresentação na Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do evento Rising Stars, dia 11 de Fevereiro de 2024.


Produção: Projecto DME & Lisboa Incomum
Co-produção: Fundação Calouste Gulbenkian
Parceiros: Associação Passa Sabi, INET-md, CRIA-IUL, Instituto Gregoriano de Lisboa
Apoio: Câmara Municipal de Lisboa e República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes


Sessões de Criação:

6 Jan: 10h - 13h
13 Jan: 11h30 - 13h
20 Jan: 11h30 - 13h
27 Jan: 11h30 - 13h
3 Fev: 11h30 - 13h
Local: Lisboa Incomum

10 Fev: Ensaio Geral (horário a definir)
11 Fev: Apresentação Final
Local: Fundação Calouste Gulbenkian


Domingo, 11 de fevereiro de 2024
Rising Stars Fundação Calouste Gulbenkian


Viagem ao centro do som
workshop para famílias com Bitocas Fernandes

Neste workshop do projeto “Corpos Sonoros”, orientado por Bitocas Fernandes, os participantes poderão descobrir novas formas de dar vida a objetos obsoletos e explorar as suas (quase) infinitas possibilidades sonoras.

Sessão 1: 12h10
Sessão 2: 16h10

Local: Sala 1 - Ponto de encontro: Secretariado da Zona de Congressos do Edifício Sede

Entrada gratuita, mediante inscrição, a partir de uma hora antes da sessão, no Secretariado da Zona de Congressos.

Mais informação aqui.


Corpos Sonoros, Performance
criação musical comunitária de Filipe Sousa

Os instrumentos musicais do projeto “Corpos Sonoros”, promovido pelo Lisboa Incomum/Projecto DME, foram criados por Bitocas Fernandes a partir de materiais abandonados, estando na base de um projeto comunitário que culmina nesta performance com peças de música acusmática produzidas a partir dos sons destes insólitos objetos.

Sessão 1: 14h15
Sessão 2: 18h15

Local: Sala 1 - Ponto de encontro: Secretariado da Zona de Congressos do Edifício Sede

Entrada livre, sujeita à lotação do espaço.

Mais informação aqui.
















Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festival Imersivo 2024

Concerto Pedagógico | Conservatório de Música de Santarém

O Canto das Sementes II 2024