Autopsychografia | Casa Fernando Pessoa



Autopsychografia
de Andrea Conangla

26 de Abril de 2024, 19h30, Casa Fernando Pessoa


Andrea Conangla lança em abril de 2024 o seu primeiro álbum a solo, Autopsychografia, um álbum que, através dos textos de Fernando Pessoa, musicados por compositores e compositoras de vários pontos do continente, espelha a diversidade, a riqueza e os frutos culturais e de cidadania do projeto europeu.

Um projeto com epicentro na música de Helmut Lachenmann e fortemente impulsionado pelas ondas de choque pós-pandémicas que levaram a cantora a mergulhar no universo lírico de Fernando Pessoa, onde não só encontrou beleza e inspiração, mas onde também se identificou com os elementos de sátira e um audacioso espírito revolucionário.

Este álbum, ancorado na ideia do querer sentir “tudo excessivamente, porque todas as coisas são, em verdade, excessivas e toda a realidade é um excesso, uma violência”, vê-se abraçado por um inesperado fio condutor de liberdade dividido em pequenos interlúdios que ligarão todas as obras numa alucinação extraordinariamente nítida.

O álbum conta uma obra de Helmut Lachenmann (que inclui um poema de Álvaro de Campos) e ainda três encomendas a jovens compositores: Sofia Borges, que trabalhou um texto da autoria de Maria José, uma das únicas personagens femininas criadas por Pessoa e duas estreias mundiais, nomeadamente com as obras de Sara Glojnarić (a grande vencedora deste ano do Ernst von Siemens Musikstiftung Förderpreis, que musica um poema de Fernando Pessoa) e Igor C. Silva (texto de Álvaro de Campos).

O concerto de apresentação será um espetáculo multimédia na Casa Fernando Pessoa, que ocupará os três pisos da exposição e ainda o auditório, no dia 26 de abril, às 19h30, e em que participam também os músicos Manuela Ferrão, João Dias e a designer da instalação visual Svitlana Zhitnya.

O espetáculo é apresentado na Casa Fernando Pessoa, incluído na programação Festas de Abril 2024 da Casa Fernando Pessoa.

A entrada no concerto tem o valor de 10€, à venda online e na bilheteira da Casa Fernando Pessoa. 

Pré-venda do álbum Autopsychografia no website: https://autopsychografia.com
Quem vier ao concerto em Lisboa recebe um desconto na pré-venda.

Produção: Projecto DME e Casa Fernando Pessoa

Apoios: Fundação GDA, Musikfonds, InSzene:Vokal do Deutsche Musikrat, Projecto DME

Mais informações em breve.


Programa:

Sara Glojnarić: THE POET IS A FAKER
para voz e electrónica

Sofia Borges: A Carta
para voz e violoncelo*

Igor C. Silva: Vou
para voz, vibrafone e electrónica

Helmut Lachenmann: Got Lost
para voz e piano, na forma de instalação audiovisual
Svitlana Zhitnya, video


*encomenda Projecto DME 2023


Andrea Conangla
Com uma profunda sensibilidade para a realidade sociopolítica e com uma visão artística distinta, Andrea Conangla (Portugal / Espanha) está a deixar a sua marca na música clássica e contemporânea, como cantora e compositora-improvisadora. O seu trabalho criativo concentra-se em temas sociopolíticos, como os social media, feminismo e política corporal: uma artista multifacetada que prospera na intersecção entre intervenção artística, ativismo e música composta e improvisada.

Radicada na Alemanha desde 2017, Andrea completou o mestrado em Música Contemporânea com distinção na Hochschule für Musik und darstellende Kunst Stuttgart com Angelika Luz, fez uma pós-graduação em canto clássico com Ulrike Sonntag, frequentou a Schubertklasse liderada pelo pianista Thomas Seyboldt e também recebeu impulsos de composição de Martin Schüttler. Andrea é mestre em Ensino de Música pela Universidade de Aveiro, Portugal, onde se especializou no ensino da voz através do movimento e da improvisação, adicionalmente ao ensino do canto clássico. Participou ainda em masterclasses com Sarah Maria Sun, Donatienne Michel-Dansac, Thomas Seybolt, Margaret Honig, Susan Waters, Anna-Maria Hefele (overtone singing), et al. Foi a vencedora do Concurso Internacional de Música Santa Cecília 2013 (Porto, Portugal).

Requisitada frequentemente como solista em ópera, oratório e teatro musical contemporâneo, Andrea cantou com orquestras e ensembles de referência na Europa de onde se destacam a Orquestra Filarmónica de Munique, Staatsoper Stuttgart, Théâtre Royal de la Monnaie, ilGustoBarocco, Sond'Arte Electric Ensemble e o Aleph Guitarrenquartett. Andrea cantou Matthäus-Passion, H-Moll Messe e Weihnachtsoratorium de Johann Sebastian Bach, Messias de Georg Friedrich Händel, Regina Coeli de Wolfgang Amadeus Mozart, Ein deutsches Requiem de Johannes Brahms e Requiem de Frederick Delius, bem como os papéis de Tarquino na ópera Muzio Scevola de Filippo Amadei, Georg Friedrich Händel e Giovanni Bononcini, Soprano Coloratura em A Laugh to Cry de Miguel Azguime, Eulália em O' KARAKINO de Uday Krishnakumar e Talus na estréia absoluta de Solar - Icarus Burning de Howard Moody. Andrea teve ainda a oportunidade de aprender e colaborar diretamente com compositores como Helmut Lachenmann, Jennifer Walshe e Bernhard Lang. 

No contexto de ensemble, Andrea manteve compromissos com SWR Vokalensemble, Kammerchor Stuttgart e Ensemble Cythera. Andrea é fundadora do Kollektiv TRIGGER, ensemble de vozes femininas dedicado à música contemporânea.

Em 2020 foi premiada com o apoio do Kunststiftung Baden-Württemberg e em 2021 com o apoio InSzene:Vokal (Podium Gegenwart, Deutscher Musikrat) para jovens artistas promissores no campo da música contemporânea. Andrea é professora de improvisação vocal na Staatliche Hochschule für Musik Trossingen desde 2020. Como professora convidada, Andrea lecionou workshops e seminários na Balleteatro, Porto, e na Universidade de Música Łódź, Polónia.

Fotografia @Matthias Baus



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festival Imersivo 2024

Vozes de Revolução | Ourique

Bartolomeu, o Voador | EACMC